26 de jun de 2010

HONDURAS não se rende! Resiste!

Desde o território hondurenho em resistência, Jubileu Sul/Américas chama a mobilizar-se e manifestar nossa solidariedade com o heróico povo hondurenho, que durante um ano leva adiante uma exemplar luta, primeiro contra a ditadura e hoje contra o atual governo ilegítimo, por uma Assembléia Nacional Constituinte que refunde o país, baseado na defensa da vida, da dignidade e dos direitos do povo.

Há um ano, em 28 de junho de 2009, a oligarquia hondurenha junto ao exército, com a mão do imperialismo e benzida pela hierarquia da Igreja Católica, seqüestrou e expulsou do país o Presidente constitucional, Manuel Zelaya Rosales, para impor um regime de repressão em beneficio dos negócios dos grandes empresários locais e das empresas multinacionais, em detrimento dos direitos coletivos.

Esse regime golpista encabeçado pelo Sr. Micheletti avançou sobre os direitos sociais dos trabalhadores e trabalhadoras e implantou um regime que tirou a vida de dezenas de pessoas. Ao mesmo tempo, o Estado destinou milhões de dólares para incrementar os negócios privados e aumentar substancialmente o orçamento militar, postergando uma vez mais os direitos econômicos, sociais e culturais e gerando uma dívida ilegítima que não foi usada em beneficio do povo, senão ao contrário. Denunciamos essa acumulação de dívida e sustentamos o direito que assiste ao povo hondurenho a se negar a honrar este pagamento, porque carece de toda legitimidade e é passiva de nulidade absoluta por haver sido contraída por um regime ditatorial.

Manifestamos nosso repudio e não reconhecimento do governo do Sr. Porfirio Lobo, surgido de eleições ilegítimas e continuador da repressão contra o povo hondurenho. Durante 2010 houve mais de 100 assassinatos de membros da resistência, como também ameaças, intimidações, prisões injustificadas e torturas que não podem ficar impunes. De igual modo, denunciamos que as dívidas financeiras contraídas pelo atual governo, com a cumplicidade das Instituciones Financeiras Internacionais e outros prestamistas internacionais e nacionais, carecem de legitimidade por ser uma continuidade do regime ditatorial.

Fazemos um chamado aos povos e  governos da América Latina e do Caribe em particular, e do resto do mundo, a seguir sustentando o não reconhecimento do atual governo ilegítimo de Honduras e a realizar as gestões ao seu alcance frente aos organismos internacionais e nacionais para garantir a plena vigência dos direitos humanos e o fim da repressão no país. E a reconhecer à Frente Nacional de Resistência Popular (FNRP) como um genuíno representante dos interesses do povo hondurenho.

Este 28 de junho nos convocamos frente aos consulados e embaixadas de Honduras em nossos países para demonstrar nosso repudio ao golpe de Estado e ao atual governo ilegítimo e manifestar nossa ativa solidariedade com a resistência hondurenha e o  apoio a realização da Assembléia Nacional Constituinte.

Viva a resistência hondurenha!
Viva a Assembléia Constituinte e a refundação de Honduras!
JUBILEU SUR/AMÉRICAS 23 de junho de 2010



.

Nenhum comentário:

Postar um comentário