4 de set de 2010

Te recordo, Amanda

Te recordo, Amanda,
A rua molhada
Correndo à fábrica
Onde trabalhava Manuel.

O sorriso largo
A chuva no cabelo
Não importava nada
Você foi ao encontro dele

Com ele, com ele, com ele, com ele.
São cinco minutos. A vida é eterna em cinco minutos.
Soa a sirene. De volta ao trabalho
E tu caminhando iluminas tudo,
Os cinco minutos te fazem florescer

Te recordo, Amanda,
A rua molhada
Correndo à fábrica
Onde trabalhava Manuel.

O sorriso largo
A chuva no cabelo
Não importava nada
Você foi ao encontro dele

Com ele, com ele, com ele, com ele.
Que partiu para a serra
Que nunca cometeu erros. Que partiu para a serra,
E em cinco minutos foi destruído
Soa a sirene, de volta ao trabalho.
Muitos não voltarão, tampouco Manuel.

Te recordo, Amanda
A rua molhada
Correndo à fábrica
Onde trabalhava Manuel.



A CORDA DA LUTA DEVE ESTAR SEMPRE ESTICADA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário